PMEs sofrem com a pandemia, não recebem apoio, mas tentam manter empregos mesmo com a crise

Pesquisa Cadeia de Valor, da Plataforma Ação para Comunicar e Engajar do Pacto Global da ONU, foi realizada com 230 empresas em junho

Julho de 2020 - A saúde dos funcionários e manutenção dos empregos, além do aumento do engajamento e diversificação dos negócios são as principais preocupações e oportunidades vistas pelas Pequenas e Médias Empresas brasileiras durante esse período de crise causada pela pandemia da covid-19. É que o mostra Pesquisa Cadeia de Valor, da Plataforma Ação para Comunicar e Engajar do Pacto Global da ONU, feita com 230 empresas em junho.

Além de apontar as preocupações com os negócios, a pesquisa mostrou também que 78% das PMEs não recebeu apoio do governo durante esse período. E somente 10% teve ajuda de grandes empresas para quem trabalham como fornecedoras. 

A pesquisa mostrou que 87% das PMEs foram atingidas negativamente pela crise. O que gerou demissão de funcionários, mas também diversificação de negócios. Mesmo com as demissões, a manutenção dos empregos está entre as principais preocupações das empresas. Mas a saúde dos funcionários é o que gera mais atenção do setor nesse momento.

A pesquisa Cadeia de Valor apontou também que para 46% das PMEs a crise é uma oportunidade de diversificação dos negócios. E 31% das empresas conseguiu fazer esse movimento. A criação de novos produtos e serviços, aumento dos serviços online e produção de EPIs foram apontados como as principais inovações desse período.

Outra boa notícia é que os ODS seguem reconhecidos como fundamentais nas estratégias de negócios das empresas. Para 69% das PMEs, os princípios do Pacto Global e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis têm contribuído para o enfrentamento da pandemia. Cooperação do setor, reforço dos direitos e o incentivo de políticas públicas e empresarias foram citados como ações nesse sentido. O Covid Radar, coletivo de cerca de 50 empresas e entidades, que busca mitigar os efeitos do vírus e auxiliar na retomada econômica, também foi lembrado. 

O Pacto Global da ONU foi lançado em 2000 pelo então secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan, e é uma chamada para as empresas alinharem suas estratégias e operações a 10 princípios universais nas áreas de Direitos Humanos, Trabalho, Meio Ambiente e Anticorrupção e desenvolverem ações que contribuam para o enfrentamento dos desafios da sociedade. É hoje a maior iniciativa de sustentabilidade corporativa do mundo, com mais de 13 mil membros em quase 80 redes locais, que abrangem 160 países. A Rede Brasil conta atualmente com cerca de 900 empresas, dos mais diversos ramos de atividade.

Acesse aqui a pesquisa.

Dia 30 de junho, realizamos um webinar para discutir o tema. Assista abaixo:

 

Rede Brasil e Ideia Sustentável lançam o estudo 11 Tendências de Sustentabilidade empresarial no 'outro normal'”
Rede Brasil discute soluções baseadas na natureza no Fórum Virada Sustentável
Índice S&P/B3 Brasil ESG analisa adesão aos Dez Princípios entre as empresas listadas

NOSSOS PARCEIROS

APOIADORES INSTITUCIONAIS

Grupo Boticário
MRV