Rede Brasil cresce em 2018 e consolida-se como referência nacional em ODS para o setor privado

A despeito do cenário esperado, a Rede Brasil do Pacto Global expandiu em 6% o número de integrantes durante o ano de 2018. A iniciativa passou a exigir pagamento das contrapartidas pelos integrantes e, com expectativa de assistir à redução do quadro de membros, testemunhou o contrário. Desse modo, a rede brasileira consolidou-se como a terceira maior do mundo, atrás apenas da espanhola e francesa. Sua intensa agenda de atividades e novos projetos pode ser vista no Relatório Anual 2018 da Rede Brasil do Pacto Global, acessível na aba de Publicações do site.

Em 2018, a Rede Brasil ganhou protagonismo global e assumiu uma vaga no Board da organização, máxima instância de representação e decisão do Pacto Global, liderada pelo secretário-geral das Nações Unidas, Antônio Guterres. A iniciativa também passou a presidir o Conselho Global das Redes Locais e o Conselho Latino Americano das Redes Locais, posicionando o Brasil na rota de novos projetos e ações internacionais desenvolvidas pelo Pacto Global.

Entre os destaques estão as mais de 30 iniciativas conduzidas no ano nas áreas de Água e Saneamento, Energia e Clima, Alimentos e Agricultura, ODS, Direitos Humanos e Trabalho, Anticorrupção e Engajamento e Comunicação. Também merece menção o Fórum Pacto Global, que marcou os 15 anos de Rede Brasil e reuniu CEOs e representantes de diversos setores em torno de discussões sobre sustentabilidade corporativa. Integrantes da rede brasileira representaram o país na maior discussão global sobre enfrentamento às mudanças do clima (COP24), em Katowice, e em Fórum de Direitos Humanos promovido pelas Nações Unidas, em Genebra. Já em Nova York, projetos empresariais sustentáveis de integrantes da Rede Brasil foram apresentados a investidores internacionais e nacionais na primeira edição do SDGs in Brazil, evento paralelo à 73ª Assembleia Geral das Nações Unidas.

23 empresas participam do programa Equidade é Prioridade
PMEs sofrem com a pandemia, não recebem apoio, mas tentam manter empregos mesmo com a crise
Nova edição do projeto Empoderando Refugiadas será adaptada ao cenário da pandemia

NOSSOS PARCEIROS

APOIADORES

Grupo Boticário
MRV