Voltado para o setor empresarial, Prêmio ODS é lançado no Fórum Pacto Global 2018
Prêmio ODS foi anunciado durante as atividades do Fórum Pacto Global, que ocorreu em São Paulo. Foto: Felipe Abreu/Pacto Global

 

 

Por Luiza Fernandes

Inspirado na iniciativa SDG Pioneers  — premiação realizada por UN Global Compact que reconhece anualmente lideranças inovadoras em sustentabilidade corporativa no mundo —, a Rede Brasil do Pacto Global lança, este ano, o Prêmio ODS. O anúncio foi feito pela Diretora de Comunicação e Sustentabilidade da B3 e SDG Pioneer de 2017 Sonia Favaretto durante o Fórum Pacto Global – 15 anos da Rede Brasil, realizado no dia 16 de maio no Masp (Museu de Arte de São Paulo). As inscrições para o prêmio estarão disponíveis em breve no site da Rede Brasil do Pacto Global.

Voltado para a atuação de empresas em esfera nacional, o Prêmio ODS reconhecerá iniciativas de líderes empresariais que estejam incorporando os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) em atividades no Brasil. Os critérios para a escolha dos premiados serão embasados nas ferramentas e plataformas disponibilizadas pelo UN Global Compact — como o SDG Compass, guia de implementação dos ODS para o setor privado. É importante destacar que o Prêmio ODS é uma iniciativa que acontece de maneira paralela e independente do SDG Pioneers,  sendo um diferencial da versão nacional a busca também cases de pequenas e médias empresas —  o que Sônia Favaretto destacou como positivo. “Muita gente acha que a agenda é apenas para grandes empresas”, disse.

 

Lideranças brasileiras se destacam entre os premiados do SDG Pioneers

Em 2016, Sonia Favaretto foi reconhecida entre os dez SDG Pioneers do mundo e junto com Ulisses Sabará, presidente da Beraca, fez do Brasil o único país a possuir dois SDG Pioneers. No ano seguinte,  Tania Cosentino,  presidente da Schneider Eletric para a América do Sul,  foi reconhecida com a nomeação, o que totaliza três SDG Pioneers brasileiros em um seleto grupo de dezenove líderes agraciados com o reconhecimento ao longo dos últimos dois anos.

Favaretto relembrou que a B3 foi a primeira bolsa do mundo a aderir ao Pacto Global, no ano de 2004, quando era politicamente importante que uma organização do tipo integrasse à iniciativa. Ela destacou que a iniciativa mostra um protagonismo do Brasil que não é de hoje. “Isso é uma vitória de todos nós. Temos esse privilégio e essa responsabilidade”, ressaltou. O concurso é uma oportunidade para inspirar negócios e potencializar os esforços das empresas signatárias na adesão aos ODS, elevando as práticas da gestão corporativa.

A representante da B3 parabenizou a Rede Brasil pela iniciativa e agradeceu o ambiente de debate, compartilhamento promovido Fórum Pacto Global, destacando a Rede Brasil do Pacto Global como um grande suporte para a promoção sustentabilidade empresarial e da Agenda 2030. Em sua fala, Favaretto destacou a importância de ter um caminho e ele está bem definido entre os signatários da Rede Brasil: alcançar Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da melhor forma possível até 2030. A vice-presidente da Rede Brasil finalizou advogando pela união entre os presentes no evento. “Tenho uma certeza unânime: não se pode trilhar esse caminho sozinho, então que bom que estamos todos juntos”. O Secretário Executivo da Rede Brasil, Carlo Pereira, fez a fala final do Fórum Pacto Global, agradecendo a presença de todos e chamando os presentes para a ação efetiva. “O trabalho começa agora”.

O Fórum Pacto Global contou com o apoio da Braskem, BRK Ambiental, Vale, Basf, FDC, Copel, EDP, Enel, PWC Brasil, Sanofi, Editora Brasileira e World Observatory of Human Affairs.

Deixe uma resposta